Armas Biológicas de Ação Lenta

Por Luis R. Miranda
The Real Agenda
9 Fevereiro, 2011

É um projeto realizado no Japão para reduzir sua população, ser facilmente aplicado em outros países, se a mesma agenda continua a mostrar sucesso?

Em 13 de junho de 2008 o New York Times informou sobre a adopção de uma política anti-obesidade no Japão, através da qual homens e mulheres entre as idades de 40 e 74 devem ter sua cintura medida em uma tentativa de acabar com a obesidade. Aqueles que estão acima do peso terão um tipo de orientação e três meses de dieta, e depois de seis meses, serão ainda “re-educados.”

Nos Estados Unidos e outros países, existem plano para reformar o sistema de saúde, e embora este ainda não foi totalmente implementado, também exige testes anuais para controle de peso.

Muitas vezes ouvimos que o sobrepeso é uma doença e um fardo para os fundos de saúde. Também poderia ser levado para outro nível se este tipo de planos exige a participação dos jovens. Se as crianças estão constantemente com excesso de peso, de acordo com esta lei, essa situação poderia ser interpretado como abuso infantil, pelo que as crianças ficariam sob custódia do governo.

Cada vez mais, as pessoas comem alimentos que contêm hormônios de crescimento. Desde o início de 1990, o gado tem sido alimentado com a hormona de crescimento bovina recombinante, uma inovação da empresa Monsanto para aumentar a produção de leite. Estrogênios sintéticos, dados a vacas e galinhas aumentam o tamanho dos animais e claramente afetam todos os produtos alimentares consumidos pelos humanos.

Em 30 de julho de 2007, o jornal Kansas City Star informou sobre “a flutuação de hormônios” que causam com que homens experimentem ginecomastia ou mamas alargadas. Como resultado, alguns desses homens se submeteram à cirurgia de redução de mama.

Dado o amplo uso de culturas geneticamente modificadas, é lógico pensar que essas coisas afetam o corpo humano e até mesmo a estrutura genética. Em 27 de outubro de 2005, o site de notícias russa Pravda relatou em um estudo que ratos alimentados exclusivamente com produtos geneticamente modificados mostraram uma fraqueza severa e pronunciada na prole, que resultou em uma taxa de mortalidade no nascimento de mais de 55 por cento. Ingredientes geneticamente modificados seriamente afetaram o comportamento de ratos entre si, levando o repórter de Pravda a concluir que os alimentos geneticamente modificados, de fato, são “uma arma biológica de ação lenta.”

A água parece ser um fator, também. Em 2006, a Universidade do Colorado, conduziu um estudo para descobrir porque os peixes estavam mudando espontaneamente de um género para outro. Estudos têm demonstrado que o estrogênio usado pelas mulheres em contraceptivos não são propriamente filtrados durante o tratamento de águas residuais, e então estes sao consumidos em altas concentrações por animais e seres humanos que acessam os sistemas de água municipais.

Em 2009, a CNN informou que os jovens japoneses são agora comumente conhecidos como

“herbívoros” porque parecem “não estar interessados na carne”, o que significa que, obviamente, não estão interessados em sexo com mulheres, e preferem uma relação mais platônica . Essa mentalidade resultou em menores taxas de natalidade e até mesmo a diminuição na produção, quando se compararam as práticas comerciais agressivas das gerações anteriores, as quais foram substituídas por umas muito mais passivas.
No Japão, a masculinidade está em declínio, sendo substituído por um homem mais efeminado. Os Estados Unidos tem experimentado algo semelhante. O termo comum “metrosexual” foi cunhado em 1994 para descrever um homem reto mostrando uma obsessão quase estereotipada homossexual na sua aparência, higiene excessiva e seu estilo de vestir e andar. A prática dos homens de fazer pedicure e depilação da sobrancelha estão se tornando mais comuns nos últimos anos.

Embora essas tendências podem estar relacionadas com os hormônios, os programas de engenharia social podem também estar incentivando os homens a ficarem mais em contato com seu lado “sensível”. Essas idéias são comunicadas através da mídia e os sistemas de re-educação, um fator que contribui para estas mudanças, tanto quanto os hormônios.