7.4 Earthquake hits Japan. Tsunami Expected

Meanwhile 6.5 quake hit Veracruz, Mexico at 13:11:24 UTC

Reuters
April 7, 2011

A major earthquake shook the northeast of Japan late on Thursday, and a tsunami warning was issued for the coast already devastated by last month’s massive quake and tsunami that crippled a nuclear power plant.

No damage from the quake, measured at magnitude 7.4 by the Japan Meteorological Agency, was detected at the Fukushima Daiichi plant and workers had been evacuated without reports of any injuries, operator Tokyo Electric Power Co (TEPCO) said. TEPCO said it was continuing to inject nitrogen into reactor No.1 after no irregularities were reported.

Engineers, who sealed a leak this week that had allowed highly radioactive water into the sea, are pumping nitrogen into one reactor to prevent the risk of a hydrogen gas explosion, and want to start the process in another two reactors.

There were no abnormalities in radiation levels around Tohoku Electric’s Onagawa nuclear power plant, where fuel rods are being cooled with just one outside power source, Japan’s nuclear safety agency said.

There were no immediate reports of injuries or damage elsewhere but people in areas covered by the tsunami warning should evacuate to higher ground, Japan’s NHK public television said.

Large parts of northern Japan were without electricity according to local media early on Friday.

Japan is struggling to bring the Fukushima Daiichi plant under control after the March 11 magnitude 9.0 quake and tsunami that followed, which killed or left missing, about 28,000 people.

Japan’s neighbors have sounded increasingly alarmed over the risk of radiation from the plant, while tourists are staying away in what should be the peak season, and the country seeks ways to cut power use.

The world’s worst nuclear disaster in 25 years is also raising concern over safety in the United States, which has more atomic reactors than any other country, especially at one plant which is similar to the one in Fukushima wrecked by last month’s 9.0 magnitude earthquake and tsunami.

TEPCO said late on Thursday it did not expect it would have to dump any more contaminated water into the ocean after Saturday.

Earlier, TEPCO said the chance of a repeat of the gas explosions that damaged two reactors in the first days of the disaster was “extremely small.”

MULTIPLE CRISES

But as engineers battle multiple crises — some the result of efforts to try to cool reactors — officials admit it could take months to bring the reactors under control and years to clear up the toxic mess left behind at the plant 240 km (150 miles) north of Tokyo.

“Data shows the reactors are in a stable condition, but we are not out of the woods yet,” Chief Cabinet Secretary Yukio Edano told reporters.

The government has already set up a 20 km (12 miles) exclusion zone around the plant, banned fishing along much of the northeast coast and set up evacuation centers for the tens of thousands forced to leave their homes following the crisis.

Trace levels of radioactive material have been detected in the air in 22 Chinese provinces but the amounts did not pose a threat to health or the environment, China’s state news agency Xinhua said.

Earlier, China’s Health Ministry said traces of radioactivity in spinach had been found in three provinces.

In South Korea, some schools closed because parents were worried that rain could be toxic.

“We’ve sent out an official communication today that schools should try to refrain from outdoor activities,” an education official in South Korea said.

South Korea’s nuclear safety agency reported a small level of radioactive iodine and caesium particles in rain but said it was not enough to be a health concern. The few schools that closed were expected to reopen on Friday if the rain stopped.

India said a blanket ban on food items imported from Japan was not warranted, though New Delhi would monitor the situation every week, a source in the trade ministry said late on Thursday.

India said on April 5 it had imposed a three-month ban on imports of food from Japan on fears that radiation from an earthquake-hit nuclear plant was spreading to other parts of the country.

Trace levels of radioactive material have been detected in the air in 22 Chinese provinces but the amounts did not pose a threat to health or the environment, China’s state news agency Xinhua said.

Earlier, China’s Health Ministry said traces of radioactivity in spinach had been found in three provinces.

In South Korea, some schools closed because parents were worried that rain could be toxic.

“We’ve sent out an official communication today that schools should try to refrain from outdoor activities,” an education official in South Korea said.

South Korea’s nuclear safety agency reported a small level of radioactive iodine and caesium particles in rain but said it was not enough to be a health concern. The few schools that closed were expected to reopen on Friday if the rain stopped.

India said a blanket ban on food items imported from Japan was not warranted, though New Delhi would monitor the situation every week, a source in the trade ministry said late on Thursday.

India said on April 5 it had imposed a three-month ban on imports of food from Japan on fears that radiation from an earthquake-hit nuclear plant was spreading to other parts of the country.

O Terror de Outono

Por Luis R. Miranda
The Real Agenda
Julho 25, 2010

Se há uma lição que a história mostra claramente, é que crises não aparecem por acaso. As grandes crises são provocadas para empurrar uma agenda. A primeira e segunda guerras mundiais são exemplos. O ataque do Golfo de Tonkin foi perpetrado artificialmente para criar outra crise que aumentou o controle dos globalistas. As operações terroristas Gladio e Northwoods são dois outros exemplos de como as elites jogam com as mentes do público para forçar seus planos. Mais recentemente, temos os ataques terroristas do 11de setembro e o derramamento de petróleo no Golfo do México.

Terror é a ferramenta preferida das elites para nos forçar a aceitar as suas políticas quando querem ou precisam. O que salvou a presidência de Bill Clinton não foi o seu entendimento da economia, mas seu ataque militar sobre a Bósnia e o ataque terrorista na cidade de Oklahoma. O que salvou a presidência de George W. Bush em seu primeiro mandato não foi seu caracter conservador ou a compaixão das suas ações, mas o ataque ao World Trade Center em Manhattan, Filadélfia e Washington. Agora, está sendo proposto por pessoas controladas pela elite, que só um ataque terrorista maciço pode salvar a presidência de Barack Obama. Um ataque da escala de Oklahoma City ou o 11 de setembro de 2001.

A suspeita de que um ataque maciço contra os americanos ou qualquer outro país do G8 está por chegar a fim de levar a outra, possivelmente, a última crise não é um exagero. A História ensina-nos bem. O que é mais chocante de uma crise criada para avançar uma agenda não é que vai acontecer, mas que essas as pessoas que trabalham para as elites saem e dizem aos quatro ventos que um ataque terrorista maciço é a única maneira de salvar a presidência de Barack Obama e tirar da lama onde ela está agora.

Em um artigo no Financial Times, um agente do governo de Bill Clinton, Robert Shapiro, deixou claro que Obama depende de um ataque para ressuscitar dos mortos. “A verdade é que os americanos não acreditam na liderança do presidente Obama”, disse Shapiro. “Ele tem que encontrar alguma maneira entre agora e novembro, para mostrar que ele é um líder que possa inspirar confiança e, na ausência de um evento à escala de 11 de setembro ou Oklahoma City, eu não posso pensar como ele poderia fazer isso.” Lembre-se da imagem de George W. Bush em pé sobre os escombros do World Trade Center? Onde estará Obama em outubro de 2010? Ele já teve o seu momento, como Bush fez com o Katrina, no Golfo do México, onde manteve os interesses da Coroa britânica sobre os do povo americano, deixando a BP fazer o que quis, literalmente.

A administração Obama não apenas não evitou a catástrofe do vazamento de óleo, mas também permitiu deliberadamente a se deteriorar. Obama impediu de ajuda externa e interna com a limpeza das águas do Golfo do México. Em vez disso, deixou a BP contratar capangas para impedir o resgate de animais selvagens e evitar a propagação do petróleo ao longo da costa do golfo. Enquanto você lê este artigo, BP utiliza as águas e o solo como um depósito de lixo tóxico. Ilhas foram transformadas em centros de morte, derramando cerca delas substâncias químicas que destroem a vida marinha em todo o Golfo. Embora a tecnologia existe para limpar as águas do Golfo do México, Obama e seus companheiros na BP decidiram deixar o óleo no mar, a fim de ter uma desculpa para promover a sua agenda Cap & Trade.

Olhando para trás na história, sob a presidência de Bush, o secretário de Defesa Donald Rumsfeld, sugeriu que um novo ataque terrorista podia ajudar a vender a guerra ao terror melhor. Os militares também sugeriram essa opção como uma forma para dar à falsa guerra global contra o terrorismo uma benção em tempos em que as pessoas estão cansadas da mesma. O tenente-coronel Doug Delaney, do Royal Military College estava sugeriu isso falando como chefe do curso de estudos de guerra. Naturalmente, um ataque contra os Estados Unidos ou em qualquer país do G-8 não teria apenas um impacto local ou regional. A maneira em que a economia mundial está “em depressão” faria que um ataque terrorista permita a instalação dum estado de lei marcial e um Estado Polícia que os globalistas desejam implementar. Além disso, levaria a uma queda mais rápida e ensurdecedora das economias ao redor do mundo.

A “surpresa de outubro”, como é chamada na América do Norte poderia vir de qualquer forma, não necessariamente uma bomba nuclear. Como vimos, não falta criatividade quando se trata de assustar as pessoas. Vimos como o estado da economia foi alterado através da compra e venda ilegal de produtos financeiros imaginários “Derivativos”, agora sabemos como invadir um país e perder uma guerra, e certamente estamos cientes que estamos vivendo as conseqüências de um derramamento de óleo mal administrado -a propósito.

Mas há um detalhe que o próximo ataque pode ter e que nenhúm outro teve. Parece um segredo de polichinelo que desta vez a culpa de qualquer ataque seria concedida para os cidadãos. Qualquer e todos aqueles que criticam o governo e suas ações ilegais foram alvo de ataques do governo ao longo da história. Agora, aqueles que fazem suas vozes sejam ouvidas não somente podem ser presos ou detidos por toda sua vida. Eles mesmos serão responsabilizados por qualquer ataque. Nos Estados Unidos, o grupo conhecido como Tea Party é demonizado diariamente pela mídia corporativa. É claro que nem todos no Tea Party são verdadeiros patriotas, pelo fato de estar infiltrado pelos serviços secretos do governo. No entanto, o verdadeiro Tea Party, é formado principalmente por cidadãos interessados que apóiam o congressista Ron Paul. Eles são objecto de ataques contínuos por parte da polícia, mídia e outros grupos que estão na folha de pagamento do governo.

Então, o que deveria fazer um presidente, quando seu apoio afunda apenas nos primeiros 18 meses de mandato? Nada! Porque nenhúm presidente é capaz de decidir o que é feito. Ele senta-se lá como líder, como o personagem principal do teatro de fantoches. Ele é forçado a fazer o que lhe dizem seus donos. Qual homem inteligente deixaria um desastre químico acontecer? Qual homem o mulher graduado de Harvard mantém os interesses das corporações, bancos e militares acima dos do povo? Só que ele foi criado e é controlado por eles. Também um homem que é chantageado por aqueles que o colocaram no poder.

Outra questão que continua sem ser abordado é: Por que os cidadãos estão em revolta contra o seus governos? Poderia ser porque, para eles, as pessoas são um produto que pode-se vender ou leiloar para o maior lance? Será porque os cidadãos são abusados até terminar com sua última gota de sangue, suor e paciência em seus corpos? Talvez seja o fato de as pessoas ser tratadas como criminosos em seu próprio país, enquanto os criminosos estão soltos na rua. Isto não é porque não há fundos suficientes para manter as vilas e cidades seguras, mas porque foi projetado para ser assím. Se aumentam os impostos, mas se cortam os serviços básicos. Se aumentam os impostos, mas se subsidia o colapso da indústria. E quando esta não for boa, os governantes decidem que é uma boa idéia bombardear os cidadãos irracionais. Na mentalidade coletivista, este bombardeio para acalmar o clima seria feito para beneficiar a maioria, é claro.

Uma coisa em que os governantes não mentem, é o que eles realmente querem fazer conosco. Eles disseram que queriam um ataque terrorista maciço para consolidar seu controle sobre pessoas e recursos, e eles fizeram isso (Projeto para um Novo Século Americano). Quando eles disseram que colapsaria a economia mundial, também o cumpriram (os derivativos, os ativos tóxicos, o FMI e os programas de empréstimo do Banco Mundial). Agora, estamos mais uma vez advertidos que outra grande surpresa está chegando e não temos razão para duvidar deles. Principalmente porque ao contrário da maioria da corrupção atual, os meios de comunicação estão enchendo todas as colunas de cenas de tristeza e desgraça, repetindo o que os terroristas -governantes- dizem.

Quinze anos atrás, não ouvimos falar do grupo Bilderberg na mídia, ou como os bancos centrais são privados e controlados desde o topo da pirâmide. No entanto, estas e outras “teorias da conspiração” são explicados em detalhe todos os dias. Políticos, profissionais, jornalistas e toda a gente na rua sabe que o mundo é controlado por um punhado de famílias. Eles, obviamente, fazêm parecer como se é bom para nós que as coisas sejam desta maneira. Apresentam aos governantes e suas “soluções” como os únicos que podem nos salvar, ao invés de nos dizer a verdade: que são eles quem causam as crises.

A máscara de Obama caíu. Na verdade, as máscaras de todos os presidentes e chefes de governo caíram.

Qual será a forma do Terror de Outono? Quem sabe? O importante é que fomos alertados e temos de nos preparar.