Por que estão manipulando o tempo?

A arma mais perigosa não é nuclear, química ou biológica, é o clima.

POR LUIS MIRANDA | THE REAL AGENDA | 25 AGOSTO 2012

O clima está mudando e os efeitos dessas mudanças já foram observados por milhões de pessoas. Mas esta mudança drástica no clima não é o resultado de uma atividade antropogénica como muitos querem fazer crer. É o resultado de décadas de ensaios ao ar livre realizados por governos e empresas com patentes para realizar o maior experimento para alterar a quantidade de luz solar que o planeta recebe, a quantidade de chuva que cai sobre uma determinada área, onde furacões e tornados são formados e para onde vão, entre outros.

Experimentos para manipular o tempo são planejados desde 1800, mas só começaram a ser feitos da década de 1940, quando muitas entidades poderosas viram a possibilidade de usar a manipulação do tempo como uma arma não só para inundar grandes áreas ou causar graves secas, mas também para limitar a quantidade de alimento disponível para uma dada população. Essa é a intenção com que eles realizaram hoje estes experimentos, enquanto culpam a atividade humana por mudanças climáticas extremas, por causa do uso de combustíveis fósseis, que causam estragos em todo o planeta, dissem os “especialistas”.

Em nenhum outro momento da história foram tão repentinas as mudanças nos padrões climáticos como agora, e não, não é devido ao ser humano, a industrialização, o desenvolvimento, ou porque temos mais carros nas estradas do que nunca. A intenção explícita de mudar os padrões climáticos é impor uma agenda anti-humana de fraude financeira, económica, social e científica. Este é o lugar onde a geoengenharia entra em jogo.

O poder de um punhado de corporações e cientistas altamente remunerados para brincar com os elementos do tempo, tem a intenção de obter um benefício específico. Este fato é evidente no mais recente documentário Why in the world are they Spraying? (Por que nos estão pulverizando?), que é a continuação do filme anterior What in the world are they Spraying? Este último destacou a substâncias que aviões de passageiros e militares pulverizam sobre o planeta, que são, segundo as patentes, colocadas no combustível dos aviões.

O qué estão pulverizando? revelou a realidade dos chemtrails ou spray de aerossol. Apesar dos riscos que estas pulverizações representam e que não foram seriamente testados — como os próprios cientistas confessam — e quem apoia  a realização dos experimentos reconhecem, o potencial de graves consequências pela pulverização de toneladas de alumínio, bário, enxofre e outros metais pesados causa graves consequências para o planeta. Mesmo assim, nunca houve nenhuma consulta com as pessoas que habitam nas cidades e países onde estes metais estão sendo usados. Os danos causados ​​pelos Chemtrails sobre a Terra são visíveis na vida do solo, água, vegetal e animal. Mas pior ainda, as pessoas ao redor do mundo também estao sofrendo os efeitos de ter de respirar o ar pesadamente poluído.

“Enquanto os geoengenheiros argumentam que seus modelos são apenas para a mitigação do aquecimento global, é agora claro que estas praticas estão sendo usadas como uma forma de construir uma quantidade enorme de poder e influência, tanto política como monetária, nas mãos de uns poucos. O seu poder de influenciar o clima está saindo do controle dos sistemas naturais da Terra. Isso, é claro, está sendo feito à custa de toda a vida da Terra “.

Mas os efeitos da geoengenharia vão além de tudo isso, porque, como tem sido observado, a pulverização de alumínio, enxofre e outros produtos químicos na atmosfera para refletir luz solar causa secas, inundações e está comprovado que também está causando mais aquecimento. De acordo com o documentário, da mesma forma que as partículas de metais pesados são capazes de refletir a luz solar que entra no planeta, estas também têm a capacidade de reter o calor que está já na Terra.

Saiba mais sobre esta grave ameaça, tire suas próprias conclusões e passe esta informação para tantas pessoas quanto possível.

 

Adquira aqui o documentário Why in the World are they Spraying?

¿Por qué están Manipulando el Clima?

El arma más peligrosa no es nuclear, química o biológica, es el clima.

POR LUIS MIRANDA | THE REAL AGENDA | 25 AGOSTO 2012

El clima está cambiando y los efectos de esos cambios se han notado ya por millones de personas. Pero este cambio drástico en el clima no es el resultado de una actividad antropogénica como muchos quieren hacernos creer. Es el resultado de décadas de pruebas al aire libre ejecutados por los gobiernos y las corporaciones que tienen las patentes para llevar a cabo el mayor experimento para cambiar la cantidad de sol que recibe el planeta, la cantidad de lluvia que cae sobre un área determinada, donde los huracanes y tornados se forman y a dónde se dirigen, entre otros.

Los experimentos para manipular el clima se han previsto desde 1800, pero sólo comenzaron a ser realizados en la década de 1940, cuando muchas entidades poderosas vieron la posibilidad de utilizar la manipulación del tiempo como un arma no sólo para inundar grandes áreas o causar graves sequías, sino también para limitar la cantidad de alimentos disponibles para una población determinada. Esa es la intención con la que se realizan hoy en día, mientras se culpa a la actividad humana de los cambios extremos del tiempo, según dicen los “especialistas” debido al uso de combustibles fósiles, que causan estragos en todo el planeta.

En ningún otro momento en la historia de la humanidad se han visto cambios tan bruscos en los patrones del clima como hoy, y no, no es debido a la actividad humana, el desarrollo, la industrialización o porque tenemos más coches en la carretera que nunca. Es por el intento explícito de cambiar los patrones climáticos para imponer una agenda anti-humana de fraude financiero, económico, social y científico. Aquí es donde entra en juego la geoingeniería.

El poder de un puñado de corporaciones y científicos bien pagados para jugar con los elementos del tiempo con la intención de obtener un beneficio específico. Esta realidad es evidente en el más reciente documental Why in the World are they Spraying? (¿Por qué en el mundo están pulverización?), que es la continuación del film anterior What in the world are they Spraying? Este último destacó las substancias que aviones militares y de pasajeros rocían sobre el planeta, las cuales son como destacado en las patentes, colocadas en el combustible de las aeronaves.

What in the world are they Spraying? dio a conocer la realidad de las estelas químicas o pulverización con aerosoles. A pesar de los riesgos que la modificación del clima representan no han sido seriamente evaluados — según lo confiesan los científicos que lo proponen — y sus defensores reconocen el potencial de graves consecuencias, toneladas de aluminio, bario, sulfuro y otros metales pesados ​​se rocían diariamente en todo el mundo sin ningún tipo de consulta a las personas que habitan el planeta . El daño que causan los Chemtrails a la Tierra es visible en el agua, los suelos y la vida vegetal y animal. Pero lo peor, la gente de todo el mundo también está sufriendo los efectos de tener que respirar aire muy contaminado.

“Mientras geoingenieros sostienen que sus modelos son sólo para la mitigación del calentamiento global, ahora está claro que se puede utilizar como una forma de consolidar una enorme cantidad de poder e influencia, tanto monetaria como política en manos de unos pocos por la influencia que el clima tiene en el control de los sistemas naturales de la Tierra. Esto, por supuesto, se está haciendo a costa de todos los seres vivos del planeta.”

Pero los efectos de geoingeniería van más allá de todo esto, pues como ya se ha observado la fumigación de aluminio, azufre y otras sustancias químicas en la atmósfera para reflejar la luz solar causar sequías, inundaciones y comprobadamente es lo que realmente está causando más calentamiento. Según el documental, de la misma forma en que las partículas de metales pesados tienen la capacidad de reflejar los rayos solares que entran en el planeta, estas también tienen la capacidad de retener el calor que ya se encuentra en la Tierra.

Aprenda más sobre esta grave amenaza por sí mismo, obtenga sus propias conclusiones y pase esta información a la mayor cantidad de gente posible.

 

Adquiera el DVD del documental aquí: Why in the World are they Spraying?

Jornal Zero Hora Mente para seus Leitores

Por Luis R. Miranda
The Real Agenda
Junho 8, 2010

As trilhas químicas não enfeitam ou adornam o céu. Elas são parte de um experimento de geo-engenharia usado globalmente que pretende limitar a quantidade de luz solar que o planeta recebe com o objetivo de diminuir o falso aquecimento global. Como The Real Agenda já reportou, trilhas químicas ou chemtrails, como se chamam em inglés, são compostas de cristais de óxido de alumínio, bário e enxofre que, segundo alguns cientistas, bloqueiam e refletem a luz solar com o objetivo de diminuir a temperatura do planeta. O problema com estas trilhas é que, inevitavelmente, os componentes químicos tornam-se parte do ar que as pessoas respiram, causado-lhes graves problemas respiratórios e outrascomplicações da saúde.

Geo-engenharia, ou a manipulação artificial das condições meteorológicas e padrões climáticos, é um tema que gerou polêmica depois que se descobriu que agências governamentais estudaram e continuam estudando a aplicação de técnicas de modificação do tempo, que eles dizem, é para eliminar ou limitar o aquecimento global e outras “doenças” atmosféricas. Como aconteceu com outros produtos artificiais, tais como alimentos transgênicos, a maioria de nós era ignorante sobre o assunto e levou um esforço gigante da mídia alternativa para descobrir e expor este programa. Veja o vídeo das trilhas químicas nos céus de São Leopoldo, RS, Brasil e de aviões espalhando-as aqui.

Trilhas Químicas sobre Sao Leopoldo, Brazil

O uso de trilhas químicas não é apenas uma questão de mudança do clima, mas implica um conjunto de mudanças ambientais. As primeiras consequências diretas da pulverização de compostos químicos têm sido uma multiplicidade de complicações de saúde às populações, como os efeitos neurológicos e alterações comportamentais, perturbações da circulação sanguínea, problemas cardíacos, efeitos sobre os olhos e a visão, falhas reprodutivas, danos ao sistema imunológico e gastrointestinal, danos ao fígado e às funções renais, defeitos de audição, distúrbios do metabolismo hormonal, efeitos dermatológicos, asfixia e embolia pulmonar. Como sabemos isso? Os testes realizados em pessoas que sofrem de alguma ou várias destas complicações apresentam níveis elevados de um ou mais dos produtos químicos pulverizados sobre centros populacionais. Em outros testes, amostras de ar também apresentaram altas concentrações de bário e alumínio.

Mas, se esses rastros químicos não são tóxicos, como o Jornal Zero Hora diz, porque a Monsanto, uma empresa química, está criando sementes que podem suportar os produtos químicos utilizados nestes percursos? Segundo a Dra. Ilya Sandra Perlingieri, os produtos químicos aplicados às áreas povoadas e despovoadas estão prejudicando não só o ambiente mas também a saúde humana.

“… Nós também sabemos que certos tipos de produtos químicos podem danificar a saúde humana e dos animais, especialmente o sistema imunológico … … os perigos das alterações hormonais estão agora mais amplamente explicadas na Internet, mas não são bem conhecidos pelas pessoas que escutam notícia dos meios de comunicação tradicionais. (1) A maioria destes produtos químicos altamente tóxicos são invisíveis e, portanto, estão facilmente fora do nosso radar coletivo. Com o nível de estresse criado deliberadamente pela crise financeira orquestrada pelas elites, onde milhões de pessoas perderam seus empregos e lares, um ambiente degradado não é prioridade para ninguém, especialmente se há pouca informação ao respeito. Este cenário faz parte de uma perspectiva mais ampla e é o que Naomi Klein escreve em seu livro “The Shock Doctrine”. Temos grandes crises, uma após a outra, sendo difícil manter o contato com nossa rotina diária, muito menos ter tempo para considerar as implicações toxicológicas de enormes quantidades de metais pesados e produtos químicos que envenenam nossa cadeia alimentar e, portanto, a nossa suposta saúde. ” Estamos no topo de uma cadeia alimentar em ruínas. ”

Leia a avaliação completa da Dra. Perlingieri sobre a geo-engenharia e as alterações climáticas aqui.

A pesar das consequências negativas, existem cientistas que insistem no uso de trilhas químicas. “Eu sugiro que tanto o óxido de

Depóis de 30 a 60 minutos as trilhas se extendem e encobrem o céu em São Leopoldo

alumínio quanto partículas de sílica podem ser usadas na estratosfera diluídas como um aditivo no combustível usado na aviação”, escreveu o engenheiro John Gorman, que conduziu experimentos para testar a viabilidade de tal cenário. “Nós queremos queimar combustível contendo o aditivo especificamente quando a aeronave esteja passeando na baixa estratosfera”, acrescenta. Relatórios de trilhas químicas ao longo de centenas de cidades em países ao redor do mundo são agora comuns. Plumas de fumaça pintam os céus azuis de cinza, após aviões comerciais e privados liberam os produtos químicos. Ambas agências governamentais e instituições como a Força Aérea ou empresas privadas contratadas são responsáveis por operar os aviões, colocar os componentes químicos em tanques independentes ou até mesmo no combustível que as naves usam.

Com todos os efeitos negativos que as trilhas tiveram sobre as populações, muitos cientistas fizeram pronunciamentos sobre os perigos que este tipo de geo-engenharia representa para o ambiente e as pessoas. Dan Schrag, da Universidade de Harvard, alertou que qualquer intenção de mudar o ambiente, incluindo o próprio ecossistema, poderia ter conseqüências desastrosas, entre elas, secas e outros desastres naturais. “Eu acho que nós deveríamos considerar a engenharia climática apenas como uma resposta de emergência a uma crise climática, mas não existem provas que mostrem uma crise climática”, disse Schrag. Alan Robock, professor da Rutgers University, diz que as consequências poderão ir muito mais longe do que secas. Estas experiências, ele diz, “poderiam criar catástrofes”, danificando a camada de ozônio e, potencialmente, alterando a estratosfera, eliminando os padrões climáticos, tais como a estação das chuvas, da qual bilhões de pessoas dependem para suas lavouras e alimentos para a população “. O problema é que este é exatamente o que o uso de trilhas químicas pretende fazer: mudar os padrões meteorológicos. A utilização de produtos químicos para bloquear os raios do sol implicará em mudanças drásticas na biosfera e atmosfera, tais como o ciclo hidrológico, padrões de vento e como o sol impulsiona os ventos ao redor do planeta. Com isso, outros aspectos tais como fertilidade do solo e a disponibilidade de água começam a aparecer.

Não deixe que as mentiras do jornal Zero Hora, do Rio Grande do Sul, confundam você. Geo-engenharia e trilhas químicas não é o mesmo que contrails ou trilhas de condensação. Enquanto os contrails desaparecem após alguns minutos no céu, chem-trails são deixadas por aviões que cruzam o céu várias vezes, produzindo figuras como um tabuleiro de xadrez, círculos e semi-circulos.

Se os seres humanos são responsáveis pelo aquecimento global, por que bloquear o sol? A verdade é que o sol é o mais gigantesco corpo quente do sistema solar e como tal, o elemento que determina o clima. Diferentes cálculos estimam que a atividade humana emite apenas entre 4 e 6 por cento do total de CO2 na atmosfera, portanto, tendo pouca influência sobre os padrões climáticos. Erupções vulcânicas e o sol, por exemplo, têm um efeito maior no clima do que qualquer atividade humana. O CO2 é realmente o que a maioria da biosfera usa como alimento. Um ambiente rico em CO2, então, fornece mais combustível para as plantas e as árvores e mais alimentos para animais e seres humanos.

Em una ou duas horas, os compostos químicos formam uma neblina o névoa que mais tarde cai como chuva ácida.

Outra conseqüência das trilhas químicas é a chuva ácida. Gotas de chuva contendo elementos químicos causam enorme acidificação dos lagos e rios, contribuindo com o envenenamento dos humanos, árvores em altitudes elevadas e muitos solos florestais sensíveis. Mas não só aqueles que rejeitam a teoria do aquecimento global antropogênico são céticos sobre o uso de trilhas químicas. O cientista chefe do Greenpeace no Reino Unido, Doug Parr, um defensor da explicação do aquecimento global antropogênico, desqualifica as tentativas de Geo-engenharia do planeta como “estranhas” e “perigosas”. Uma reportagem da KSLA no início deste ano constatou que experimentos químicos com aerosóis vêm acontecendo por décadas. A reportagem revelou experimentos expostos em 1977 em audiências do Senado dos Estados Unidos. O relatório mostrou as experiências com compostos bioquímicos em humanos e relatou que “239 áreas povoadas foram contaminadas com agentes biológicos, entre 1949 e 1969.

Então, para os que escreveram o artigo na Zero Hora, -o qual não tem o nome do repórter- estas trilhas não significam nada mais do que condensação casual de contrails, mas as provas mostram exatamente o oposto. Os repórteres no jornal são ignorantes ou simplesmente mentem para os seus leitores deliberadamente.

Se o objetivo final da Geo-engenharia é reduzir os efeitos do aquecimento global devido à atividade humana e às suas consequentes emissões de gases estufa, pensaríamos que este método teria pelo menos uma boa chance de funcionar, não é? Bem, acontece que a Geo-engenharia bioquímica não tem efeito nenhum para evitar o aquecimento que cientistas corruptos dizem causam o efeito estufa na atmosfera. Portanto, o uso de trilhas químicas é, no mínimo, uma solução incompleta e, no máximo, um envenenamento massivo da humanidade.

O cientista David Suzuki diz que a geo-engenharia é uma “loucura” e vai mais longe ao dizer: “Se nós aprendemos alguma coisa do passado, é que apesar de estarmos muito hábeis em inventar novas e poderosas tecnologias, nosso conhecimento de como o mundo e as coisas estão interligadas é quase zero. ”

No final de tudo isso há um aspecto mais preocupante da geo-engenharia. Nós todos sabemos o que os governos são capazes de fazer quando querem manipular as pessoas: guerras inexplicáveis, pandemias inexistentes, eventos terroristas … Embora o uso de produtos químicos como arma de guerra é geralmente visto como moralmente e universalmente proibido, temos visto evidências muito convincentes de que essa proibição nem sempre é respeitada. Segundo um artigo publicado na Revista Wired Magazine, outras formas de geo-engenharia, tais como fertilização dos oceanos, podem ser usados para proliferação de algas que esterilizam os oceanos, isto, por sua vez destruirá a pesca e os ecossistemas de água.

Mesmo os globalistas das Nações Unidas, tradicionalmente defensores destas politicas, manifestaram sua preocupação com a

Algumas trilhas tomaram completamente os céus de São Leopoldo em 03 de junho.

utilização das trilhas químicas. A 14ª Sessão do Órgão Subsidiário de Assessoramento Científico, Técnico e Tecnológico foi o primeiro lugar onde o Conselho das Nações Unidas discutiu a geo-engenharia, desde a assinatura do Tratado ENMOD em 1976. O tratado proibiu a geo-engenharia, quando ela é usada para objetivos “hostis”. SBSTTA 14 irá recomendar à Convenção das Nações Unidas sobre a Diversidade Biológica a imposição de uma moratória sobre todas as atividades de modificação do clima através de geo-engenharia em uma reunião em Nagoya, Japão em outubro 2010. Naturalmente, o conhecimento se dissemina mais rápido e melhor quando as pessoas mais a nível local são responsáveis por informar sobre estas questões. Então, conte à sua família, amigos e conhecidos sobre a origem e os perigos de armas laser e a modificação do clima com geo- engenharia ao redor do globo. Assim como OS POVOS expuseram as mentiras sobre o aquecimento global antropogênico e Climategate, é nosso dever expor isso também.

Então, por que adotamos uma técnica de modificação do clima que é prejudicial aos seres humanos e cujo principal objetivo não pode ser alcançado? Quem se beneficia deste tipo de tecnologias de geo-engenharia se são adotadas por outras razões? Certamente não será o meio ambiente. Mais respostas sobre trilhas químicas ou chemtrails, suas origens e o que elas significam pode ser encontrado em A Ciência da “Farmacologia do Ar” ou “Chemtrails”. Aos meus colegas na Zero Hora quero dizer: não custa nada escrever uma reportagem completa com fontes confiáveis e com fatos. Mas acho que todos sabemos porque este jornal evita escrever a verdade. Como parte do grande império da Globo, talvez é dificil falar ou escrever a verdade. Somente os que se prestam para mentir ou falar meias verdades por causa da sua ignorância -voluntária ou não- e /ou preguiça profissional têm espaço numa empresa como o Jornal Zero Hora ou o império Globo.