Por que a Venezuela está vendendo suas reservas de ouro?

Outra questão igualmente importante é saber onde está o dinheiro da venda.

POR LUIS MIRANDA | THE REAL AGENDA | OUTUBRO 7, 2012

Depois de anunciar com grande alarde a chegada das suas reservas de ouro da Europa na mídia nacional, o governo venezuelano está vendendo seu ouro e, supostamente, “injetando” dinheiro das vendas na economia. Anunciado como um evento histórico para o país, a chegada da última remessa de ouro venezuelano da Europa em janeiro passado, desapareceu tão rápido quanto veio do território bolivariano.

O governo liderado por Hugo Chávez teve que recorrer a venda de reservas de ouro do país para adicionar dólares para a economia. Em janeiro passado, tanques blindados e caminhões escoltaram ouro venezuelano  de um de seus portos para os cofres do Banco Central, enquanto a mídia patrocinado pelo governo repetia incansavelmente  como o retorno do ouro era uma medida para fortalecer a soberania nacional e o futuro econômico da Venezuela. O ouro da Venezuela tinha ficado em bancos europeus por quase duas décadas antes de retornar ao país, depois que Hugo Chávez ordenou o seu regresso em 2011.

A chegada de ouro que começou no ano passado levou o governo a começar a vende-lo, a fim de colocar mais dólares na economia venezuelana. As primeiras vendas representaram 3,2 toneladas de ouro, que foi usado para tentar aliviar a escassez de dólares nos mercados. A venda de ouro para comprar dólares não foi revelado ao publico até recentemente na Venezuela, depois que o Fundo Monetário Internacional revelou detalhes sobre a operação na semana passada.

Também na semana passada, a agência de notícias Reuters publicou detalhes do relatório do FMI, que aponta como as reservas de ouro da Venezuela diminuíram 10,98 toneladas em 2012. O país viu as suas reservas baixar de 372,93 a 362,93 toneladas que foram vendidas em agosto passado. Apenas no mês passado, o Banco Central da Venezuela vendeu 3,2 toneladas por um total de $ 300 milhões.

Quarta-feira passada, o presidente da Comissão de Finanças da Assembleia Nacional, o deputado Ricardo Sanguino, disse ao jornal Mundo que “O fato era que o governo havia realmente vendido mais de três toneladas de ouro. De acordo com informações publicadas pela imprensa local, a venda foi feita para aliviar a escassez de dólares de dinheiro que o país enfrenta e para cobrir o pagamento de importações, que no último ano aumentou em 20%.

A principal fonte de dinheiro estrangeiro é a exportação de petróleo da Venezuela, que também financia 60% do orçamento nacional. As reservas de petróleo são menores neste momento, enquanto o presidente Hugo Chávez busca a reeleição para mais um mandato de seis anos.

Venezuela possui hoje as maiores reservas de petróleo comprovadas, enquanto o preço do recurso é superior a $ 102. Mas a estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) produz abaixo da sua capacidade. Há um mês, houve uma explosão de tanques de combustível na maioria de suas refinarias. O evento matou 48 pessoas paralisou operações na instalação do governo.

As importações são o oxigênio da economia venezuelana. Cerca de 80% dos alimentos consumidos no país são importados: leite em pó, carne, açúcar, frango, café, oferecidos a preços subsidiados no mercado popular da rede operada pelo Estado e, junto com tudo isso, o governo também subsidia todos os programas sociais que beneficiam os mais pobres. Este é o grupo de pessoas que geralmente apoia a Hugo Chávez.

As importações são controlados pelo governo, que desde 2003 tem uma política estrita de troca de produtos. A compra de mercadorias estrangeiras é estritamente controlado pela Comissão de Administração de Importações, que decide quem pode comprar moeda estrangeira.

Somente empresários próximos ao poder tem acesso à taxa oficial de 4,3 bolívares por dólar. O resto das pessoas são obrigadas a comprar dos dois mercados de câmbio paralelos que operam no país.

A venda de ouro para inundar o mercado com dólares americanps é visto como uma questão política de Hugo Chávez, que precisava manter seus fãs felizes até domingo 07 de outubro, dia da eleição presidencial.

The Real Agenda permite a reprodução do conteúdo original publicado no site APENAS através das ferramentas fornecidas no final de cada artigo. Por favor, NAO COPIE o conteúdo do nosso site para redistribuir ou para enviar por e-mail, a menos que você solicite e receba autorização escrita. Se a permissão for dada, o artigo deve ser reproduzido EXATAMENTE como ele aparece em nosso site.

About Luis Miranda
The Real Agenda is an independent publication. It does not take money from Corporations, Foundations or Non-Governmental Organizations. It provides news reports in three languages: English, Spanish and Portuguese to reach a larger group of readers. Our news are not guided by any ideological, political or religious interest, which allows us to keep our integrity towards the readers.

Comments are closed.