Aviões Invisíveis dos EUA Preparam Ataque perto do Irã

POR LUIS MIRANDA | THE REAL AGENDA | 2 MAIO 2012

A Força Aérea dos EUA está tranquilamente planejando atacar o Irã com manobras de combate do grupo aéreo mais poderoso desde bases aéreas perto de Irã. Furtivos F-22 Raptors uniram-se a uma mistura potente do serviço ativo e Guarda Aérea Nacional F-15 Eagles, incluindo alguns equipados com os últimos radares avançados. A equipe de Raptor Eagle vem aperfeiçoando as táticas especiais para limpar o ar de combatentes iranianos na guerra.

Tem sido anos desde que a Força Aérea tem mantido uma presença significativa no Oriente Médio. Durante a invasão do Iraque em 2003, eles usaram Boeing F-15C que saíram da Arábia Saudita, mas a força aérea iraquiana não resistiu e esquadrões Aguia terminaram a missão rapidamente. Durante os próximos nove anos, as implementações da Força Aérea no Oriente Médio têm sido manipuladas por aeronaves de ataque ao solo, como o A-10, F-16 e Eagles F-15E Strike.

A década de 1980 esteve cheia de F-15C com problemas estruturais, que os fazia ficar em EUA e no Japão. O novo F-22, construído pela Lockheed Martin, sofreu problemas mecânicos e de segurança. Quando se aventuraram fora de suas bases no Estado da Virgínia, no Alasca e no Novo México, era somente para completar exercícios de treinamento de curta duração sobre o Pacífico. Os F-22 e F-15C foram usados em 2011 na Líbia.

A Força Aérea consertou parcialmente os F-15 e o F-22, apenas a tempo para a escalada de confronto contra o alegado programa de armas de ataque nuclear iraniano. Em março, o Exército implantou o Fighter Wing 104 Air da Air National Guard Massachusetts, voando F-22 e F-15C desde uma base “não divulgada” no sudoeste da Ásia – provavelmente Al Dhafra nos Emirados Árabes ou Al Udeid, no Qatar. A alta especialização do grupo de Massachusetts, que geralmente têm vários anos de experiência ao invés de seus colegas da ativa “, estaria pronta para ser usada no Irã “, disse o comandante de Asa, coronel Robert Brooks.

O F-15C atualizado na Ala 18 no Japão entrou para a Guarda Eagles. Aviões de combate baseados no Japão tem radar APG-63 (V) 2 e (V) 3 fabricados pela corporação Raytheon. Radares digitais com feixes individuais com antenas fixas acompanham os exercícios de forma mais objetiva, mais rápido que o antigo modelo mecânico que tem que girar fisicamente para a frente e para trás. A Asa 18 está trabalhando com uma frota de 54 Aguias atualizados divididos em dois esquadrões. No vídeo acima, filmado por um piloto de F-15, mostra algumas das formações.

O F-22 seguiu a rota do F-15. “Raptors foram levados para Al Dhafra, de acordo com Aviation Week. O porta-voz da Força Aérea, Capitão Phil Ventura confirmou a implantação. Não está claro de onde vieram. Se são da terceira Asa com base no Alasca, são o mais recente modelo de Aumento 3,1 com capacidade de bombardeio, além de armas aereas. Em qualquer caso, a missão no Oriente Médio representa a primeira vez que aeronaves F-22 estão perto de uma zona de combate.

A mistura de antigos e atualizados, os ultra-modernos F-15 e F 22S nao aconteceu por acaso. Quando o Pentágono deixou de produzir os Raptors, que custaram cerca de 400 milhões — 187 unidades — metade a Força Aérea disse que precisava manter 250 F-15C em serviço até 2025. Os pilotos começaram a desenvolver táticas para os dois tipos de combate.

“Temos uma pequena frota de F-22”, disse o general Mike Hostage, comandante-chefe da Força Aérea. Assim, a indústria de vôo desenvolviu um sistema pelo qual um grande número de F-15 funcionan para um pequeno número de “aves de rapina” que esconden-se e flanqueiam o inimigo em modo stealth completo. “Nosso objetivo é voar na frente com o F-22, e ter persistência para ficar lá enquanto o [F-22] estão realizando seu ataque [observacão baixa]”, disse o major Todd Giggy, um piloto Eagle.

Uma coisa que se procura é a presença no Oriente Médio de uma Força Aérea bizjets Global Hawk e aviões equipados com a Nó Northrop Grumman de Comunicações Battlefield Airborne, ou Bacon. O F-22, uma vez concebido como um caçador solitário, foi criado sem links de dados que são padrão em F-15 e muitas outras aeronaves. Em vez disso, o Raptor tem seu próprio link exclusivo que é incompatível com o Eagle. Bacon, ajuda a traduzir os sinais de rádio para os dois tipos para que possam trocar informações. Com um plano de Bacon, F-22 e F-15 pode trocar dados silenciosamente. Por exemplo, stealth Raptors podem localizar alvos para o Eagles.

Os métodos anteriores são o que a Marinha dos EUA usariam para acabar com a antiquada força aérea iraniana, se a guerra acontece. Os aviões estão no lugar. Os pilotos estão prontos. Esperamos que não seja necessário.

Traduzido do artigo original: U.S. Stealth Jets Get Set Near Iran

About Luis Miranda
The Real Agenda is an independent publication. It does not take money from Corporations, Foundations or Non-Governmental Organizations. It provides news reports in three languages: English, Spanish and Portuguese to reach a larger group of readers. Our news are not guided by any ideological, political or religious interest, which allows us to keep our integrity towards the readers.

Comments are closed.

%d bloggers like this: