Nações Unidas começa Campanha de Medo sobre a Gripe Aviária

Não há evidências científicas significativas de que pode haver uma epidemia global, mas a FAO diz que a gripe H5N1 “pode” brotar novamente no outono e inverno.

Reuters
29 de agosto de 2011

Em Português Luis R. Miranda

ROMA (Reuters) – As Nações Unidas alertaram para um possível ressurgimento da gripe aviária e disse que uma cepa mutante do vírus H5N1 se espalha pela Ásia e em outros lugares.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) pediu nesta segunda-feira uma maior vigilância e preparação para um possível surto do vírus, o que poderia ter infectado 565 pessoas desde que apareceu pela primeira vez em 2003, matando 331 pessoas.

O vírus foi eliminado da maioria dos 63 países infectados depois de atingir o pico em 2006, mas desde 2008 tem se expandido geograficamente, tanto em aves domésticas como selvagens, em parte devido aos padrões de migração, disse a FAO.

“A mudança na diminuição progressiva observada no período 2004-2008 pode significar que haverá um surto de H5N1 neste outono e inverno”, disse o Diretor de Veterinária da FAO, Juan Lubroth disse em um comunicado.

Ele disse que o surgimento de uma cepa variante do vírus na China e no Vietnã é uma preocupação, porque esta variante parece ser imune as vacinas existentes. (Isto prova que as vacinas são ineficazes na prevenção de doenças porque causam a mutação de vírus e bactérias mais rapidamente a níveis que o corpo não tem a capacidade de eliminar.)

A circulação do vírus no Vietnã também representa uma ameaça direta para o Camboja, Tailândia e Malásia, e põe em perigo a península coreana e o Japão, segundo a FAO.

A última morte humana ocorreu no início deste mês no Camboja, que registrou oito casos de infecção humana neste ano, todas esses casos resultaram em mortes, disse.

Os países que podem enfrentar maiores problemas são: Bangladesh, China, Egito, Indonésia e Vietnã, onde a FAO disse que o vírus ainda está firmemente arraigado.

Ele disse recentemente que as áreas afetadas incluem Israel, Palestina, Bulgária, Roménia, Nepal e Mongólia.

“As aves selvagens podem introduzir o vírus, mas as ações de pessoas na produção de aves pode estendê-lo”, disse Lubroth.

“A preparação e acompanhamento continuam a ser essenciais … você não pode baixar a guarda com o vírus H5N1”, disse ele.

Esperem uma nova campanha com a última vacina contra H5N1 em breve, com a venda as empresas farmacêuticas irao encher suas contas bancarias novamente. Esperem também discursos das “autoridades” de saúde querendo empurrar a vacina e querendo assustar aqueles que se recusam a compra-la.

About Luis Miranda
The Real Agenda is an independent publication. It does not take money from Corporations, Foundations or Non-Governmental Organizations. It provides news reports in three languages: English, Spanish and Portuguese to reach a larger group of readers. Our news are not guided by any ideological, political or religious interest, which allows us to keep our integrity towards the readers.

Comments are closed.

%d bloggers like this: