Marcado desde o nascimento: Embriões Codificados

Fox News
Versão Português Luis R. Miranda

Em filmes futuristas como “Aliens 2” e “12 Macacos”, os presos são controladas com códigos de barra para fácil identificação. Mas a realidade hoje é ainda mais selvagem: Os cientistas têm proposto o uso de código de barras para codificar embriões humanos.

Pesquisadores da Universitat Autònoma de Barcelona, na Espanha, tentam um método de impressão de códigos de barra em embriões microscópicos – um procedimento que planeja ser testado em breve em humanos. A empresa pretende evitar distúrbios durante a fertilização in vitro e os procedimentos de transferência de embriões. Mas os especialistas em privacidade e defensores dos direitos das crianças estão preocupados pelo conceito de “rotulagem directa” dos embriões, e defendem a transparência no processo.

“Um embrião é uma vida humana, então temos que ir em frente com isso muito, muito cuidadosamente”, disse Pam Dixon, diretora executiva do World Privacy Forum. “Obviamente não podemos perguntar ao embrião o que ele quer, então a pessoa que doa tem que consentir e a pessoa que recebe também. Deve haver um grande debate público. ”

Os pesquisadores insistem que sua técnica é perfeitamente segura, dizendo que o código de barras, simplesmente evapora quando o embrião se desenvolve em um feto. Dr. Arthur Caplan, diretor do Centro de Bioética da Universidade da Pensilvânia, disse que enquanto o desenvolvimento não é afetado, qualquer melhoria na transferência de embriões seria muito benéfica – porque os erros podem ser devastadores.

“Quando falamos de desencontro, esses erros são psicologicamente e emocionalmente devastadores”, disse Caplan a FoxNews.com. “Há pais que querem rejeitar o menino dizendo que a criança não é claramente da mesma raça que eles são. Há também o perigo de que o doador possa mudar de idéia e queira se envolver na criação dos filhos. As pessoas realmente querem um vínculo biológico. Então eu acho que essa é uma ótima idéia para reduzir as dificuldades. ”

Os códigos de barras não ficaram escondidos ou ocultos – na verdade, são facilmente visíveis através de um microscópio padrão, e a equipe de pesquisa pretende desenvolver um sistema de código de máquina legível quando aperfeiçoe sua técnica para a rotulagem de embriões.

E uma vez feito, os ensaios começarão em embriões humanos.

“Estamos muito animados com isso”, disse Elena Ibáñez, uma das pesquisadoras do projeto – uma colaboração com pesquisadores do Instituto de Microeletrônica de Barcelona, e o Conselho Nacional Espanhol de Pesquisa. “É algo que se funciona, poderia ser útil para os embriologistas. Neste momento, as clínicas de fertilidade apenas etiquetam a placa de Petri. Nós apenas estamos fazendo uma melhoria nesse sistema “, disse a FoxNews.com.

O processo envolve a injeção de códigos de barras, feitas de silício, no espaço perivitelino dos embriões, o espaço entre a membrana da célula de um embrião e o revestimento externo de proteção, conhecida como a zona pelúcida. Quando o embrião se prende à parede uterina, é liberada a partir da zona pelúcida, e os códigos estão destinados a desaparecer com ele, dizem os pesquisadores.

A fase final tem-se revelado a mais difícil para os pesquisadores, mas eles gostariam de encontrar um meio mais eficiente de “identificação” dos embriões.
“Sabemos que em alguns ratos os códigos ficam vinculados ao próprio embrião”, disse Ibanez. “Então uma das coisas que estamos tentando é implementar o código diretamente para o reservatório externo, em vez de sobre ele. Desta forma, teremos 100 por cento de certeza que o código é separado do embrião. ”

Se a equipe de investigação sao capazes de dar o salto dos ratos para os seres humanos, eles têm a certeza de que o código ficará separado. Dixon disse que seria uma invasão de privacidade definitiva se houver alguma indicação de que o código de barras é mantido. Investigadores incitaram a explorar outros meios de identificação antes de prosseguir com esta técnica.

“O resultado não será necessariamente positivo”, disse Dixon a FoxNews.com. “O fato de que esta é uma tecnologia avançada não significa que ela vai tornar as coisas infalíveis. Eu acho que existem outras alternativas que são menos invasivas e podem fornecer a mesma função. Além disso, pode haver muitas mulheres que não querem implantar o código no embrião. ”

No entanto, Ibanez diz que o procedimento é perfeitamente seguro e que ninguém deve sentir-se apreensivo sobre como utilizar o novo sistema.

“Se há alguma preocupação de que isso poderia causar danos ao embrião, lembre-se que o silício que usamos é completamente seguro”, disse Ibanez. “Os embriões se desenvolvem normalmente e uma vez que tudo é aperfeicoado, o código é desaparece após a implantação”, disse a FoxNews.com.

“Portanto, não produziremos um bebê com o código nele”, disse ele.

About Luis Miranda
The Real Agenda is an independent publication. It does not take money from Corporations, Foundations or Non-Governmental Organizations. It provides news reports in three languages: English, Spanish and Portuguese to reach a larger group of readers. Our news are not guided by any ideological, political or religious interest, which allows us to keep our integrity towards the readers.

Comments are closed.